Top Menu

Leica 0 - wikimedia

Uma das câmeras mais desejadas pelos fotógrafos foi criada há mais de 100 anos, e hoje vou contar para vocês um pouquinho desta história.

Especialista em microscopia, técnico em óptica e mecânica, funcionário da Leitz Wetzlar, o alemão Oskar Barnak era simplesmente apaixonado por fotografia. Uma saúde muito frágil o impedia de carregar as câmeras super grandes e pesadas de sua época. Em 1912 ele resolveu começar um projeto de uma câmera mais compacta que o ajudasse a seguir o seu sonho. Aproveitando o filme 35 mm utilizado pelas indústrias cinematográficas, Barnak em fevereiro de 1914, lançou o protótipo chamado de Ur-Leica, a primeira câmera portátil do mundo.

Oskar Barnak ainda não sabia, mas começava ai uma revolução no mundo da fotografia. Durante o período da primeira guerra mundial, o projeto ficou estacionado, mas a inovação era tão grande que em 1920 o projeto foi retomado. Com a ajuda do professor Max Berek que desenhou a 50 mm com abertura máxima de f/3.5 a Anastigmat, Barak tinha a última peça do seu quebra cabeças. Em 1924 Barak apresentou o projeto para Ernst Leitz II, então dono da Leitz Wetzlar, que conseguiu a aprovação para que a câmera fosse fabricada em série. Então foram produzidas 30 raríssimas unidades da Leica 0, logo depois a produção de 500 unidades da Leica I.

Leica-I -wikimedia

A Leica I foi a primeira compacta oficialmente lançada em uma feira na Alemanha em 1925, e durante aquele ano mais de 1000 unidades foram fabricadas, era sucesso absoluto entre os fotógrafos alemães. Em 1930 foram lançadas as lentes intercambiáveis e em 1957, começou o lançamento da linha M.

Leica M2

Depois disso, a Leica se tornou companheira de grandes nomes do fotojornalismo, como o francês Henri Cartier-Bresson, pela qualidade das imagens produzidas e pela facilidade de transportá-la. Outros nomes famosos da fotografia mundial ficaram fielmente ligados a revolucionária câmera, como o húngaro Robert Capa e o polonês David Seymour.

Um dos fotógrafos brasileiros apaixonados pela marca é o fotojornalista Evandro Teixeira, com 78 anos ele usa a Leica há 28 anos. Fotografou a Copa do Mundo do Chile, o Golpe Militar no Brasil, a Passeata dos Cem Mil no Rio de Janeiro e a morte de Pablo Neruda.

Fotografia de Evandro Teixeira, Golpe Militar do Brasil em 1964, com a Leica - carlosscomazzon

Barack morreu em 1936, mas o seu nome será eterno, junto com a vontade que todo fotógrafo tem de ter uma Leica.

About The Author

Ela consegue passear por diversas áreas profissionais. Formada em Gestão Bancária, sempre teve uma grande paixão pela gastronomia. Especializou-se na área e começou sua nova vida de blogueira. Criadora e diretora do projeto Marola com Carambola, sentiu necessidade de conhecer o mundo da fotografia e da edição, nascendo assim o Conexão Fotográfica.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Close